segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Saudades ....

Saudades daquela tarde marcante.
Saudades dos momentos passados à beira daquela praia linda, a assistir ao maravilhoso pôr-do-sol.

Foram momentos memoráveis. Ainda é possível sentir o cheiro do mar misturado com o perfume humano.

Nada apagará da memória os olhares e sorrisos trocados naqueles instantes.
Se calhar todas as pessoas têm direito a, pelo menos uma vez na vida, assistir a um belo pôr-do-sol ao lado do seu grande amor.
Mas matutando bem, não foi bem numa tarde.
Nunca foi numa praia.
Pior, nunca houve amor, muito menos grande amor.
Afinal, são apenas saudades dos tempos nunca vividos.

Paula Ribeiro




segunda-feira, 24 de agosto de 2015

As palavras que ficam por dizer … as coisas que ficam por fazer


Muitas vezes, lamentámo-nos por ter deixado algo por fazer ou por dizer. Receio não ter conhecido ninguém que não tenha passado, nem que fosse apenas uma vez, por estas situações. Ter esta consciência não me parece ter nada de errado, muito pelo contrário. No entanto, há que ter também a consciência de que havemos sempre de deixar algo por dizer ou coisas por fazer. Para já, porque por vezes é preciso silêncio, é preciso optar por deixar algo por fazer.….
Paula Ribeiro

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

A integridade e o Poder


A integridade e o pode relacionam-se muito e quase sempre.
O poder tem a mania de estar sempre a ameaçar a integridade. Mas, com isto, não se quer dizer que não haja poderosos íntegros.
No entanto, a realidade mostra-nos que muitas das vezes, para alcançar o poder é preciso “doar”, pelos menos, uma parte da integridade. Ainda assim, quando se chega ao poder é fundamental fazer com que os outros que ainda não se tenham lá chegado percam toda a sua integridade. Assim para garantir, que caso o outro, um dia, venha alcançar o poder, que ao menos não ponha em causa a falta de integridade dos que lá estão.

Paula Ribeiro

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

O mundo das Aparências


No mundo das aparências, não importa o que se faz ou se deixa de fazer, o importante mesmo é que seja “[a]notado” pelos outros. O importante é ser conhecido, é ficar “famoso”.
Trabalhando backstage ninguém verá as marcas que se está usar. Por isso, vamos todos para o palco fazer a foto. Qual foto o quê!? Será selfie. O fotógrafo não perderá a oportunidade. Pressente-se que choverá comentários nas redes sociais…Vamos ao selfie então.
Damos o nosso melhor lado, e é preciso melhor sorriso de sempre.
Foto tirada!
Não há ninguém para fechar a p*** das cortinas!?
Bom, sendo assim, fiquemos no palco. De qualquer forma, parece que hoje  não haverá jantar. O chef está tão empenhado em suster o ar para disfaçar a barriga na foto, que não deve estar sentir o cheiro do queimado vindo da cozinha.

Paula Ribeiro